Vereadores e PM, juntos!

por Aline Athila - Imprensa CML — última modificação 12/04/2018 19h07
Encontro inicia implantação de grupos de WhatsApp entre polícia militar e bairros de Luziânia.

Vereadores e representantes da polícia militar, do poder executivo e da comunidade se reuniram, na tarde desta quinta-feira (12), para discutir a implantação, no município, das “Células de Interatividade”, grupos de WhatsApp formados por cidadãos, também chamados de tutores de segurança, e policiais com o intuito de coibir práticas ilícitas.

O projeto vem ganhando adesão em todo o estado, incluindo Valparaíso e tem obtido reduções nos índices de criminalidade, especialmente, homicídios.

Iniciando as falas do encontro o Comandante do 5º Comando Regional Tenente Coronel Marques Nunes de Azevedo destacou a importância do projeto que vem transformando cidadãos em “viaturas virtuais” que, em conjunto com os policiais, atuam pontualmente na necessidade da comunidade. “Queremos inserir o ator que realmente sofre com a criminalidade do marginal, a fim de que este apoie a polícia e ajude a oferecer abordagens e um trabalho com qualidade”, defende.

O presidente da Câmara Murilo Roriz propôs inicialmente a priorização da implantação nas zonas quentes de criminalidade (ZQC), regiões que são mais alvos de crimes, e sugeriu, juntamente com vereadores e representantes de associações de moradores, alguns desses locais. “A Câmara está disposta e empenhada, com apoio do Poder Executivo, a instalar imediatamente as Células. Colocamos toda a nossa estrutura em prol de garantir mais segurança aos cidadãos luzianienses”, finaliza.

A nova forma de aplicabilidade do policiamento urbano vem para agregar com outras ações da Polícia Militar já presentes no município, a exemplo do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), da polícia comunitária, da visita solidária e da atenção extra a Lei Maria da Penha.

 

Como funciona?

Idealizador do projeto, o Tenente Tiradentes esclareceu em sete passos como será implantado o projeto. Ele também explicou que o aplicativo de celular é só o meio para viabilizar a interação em tempo real com os policiais, mas que o sucesso depende da participação compromissada da sociedade.

Em primeiro lugar, serão detectadas as zonas quentes de criminalidade (ZQC), em seguida passa-se a entrevista com as pessoas que serão os tutores de segurança. Essa etapa tem como responsáveis os Tenente Hélio Jose e a Subcomandante da 2ª CIPM Tenente Shélita. Em um terceiro momento ocorrerá uma reunião entre tutores e representantes das esferas de poder a qual esclarecerá como será a criação, finalmente cria-se os grupos com apoio dos tutores que elegerão pessoas idôneas e que participam da realidade do bairro para fazerem parte da célula.

Após a criação, a comunidade repassa os pontos sensíveis e ocorrências para que a polícia intervenha. O patrulhamento é intensificado de acordo com as demandas dos grupos e durante os próximos 40 dias são verificados a efetividade e a satisfação da população. Uma solenidade com entrega de placas as células de interatividade e diplomas aos tutores de segurança marca o compromisso de dar continuidade ao projeto e fortalecer a segurança no município.

      

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.